Recursos para pastores

7 ideias porque os pastores mudam tanto de igreja

7 ideias porque os pastores mudam tanto de igreja

Em um passado não antigo os pastores ficavam mais tempo em suas igrejas. Era comum ter pastorado de dez, quinze, trinta anos. Alguns pastores pastorearem uma única igreja em todo o seu tempo de pastorado. Vejamos 7 ideias porque os pastores mudam tanto de igreja.

Li outro dia, apenas como ilustração, que nos Estados Unidos a média de uma pastorado é de quatro anos. No Brasil não temos estatísticas sobre a igreja. Poucas organizações promovem esse tipo de ministério. Mas, a realidade aqui não é tão diferente. Fruto da minha observação é provável que aqui o tempo seja ainda mais curto – entre dois a três anos.

Vou elencar algumas razões pelas quais os pastorados são de curta duração:

1. Falta de crescimento da igreja

Uma igreja que não cresce numericamente enfrenta muitos problemas. Os membros ficam desanimados, a diretoria da igreja fica insatisfeita, os programas não conseguem atrair e segurar os crentes na comunidade. O pastor fica numa situação complicada e muitas vezes o que tenta fazer não dá resultados.

Ao invés de todos pensarem e repensarem os ministérios da igreja, a solução mais simples é a de dispensar o pastor, afinal se a igreja não cresce, deve ser culpa do pastor. A igreja tem memória curta e esquece que já dispensou os pastores anteriores pelo mesmo motivo.

2. Falta de motivação dos membros da igreja

Isso é muito normal em igrejas pequenas e médias. Os poucos crentes ativos são colocados em quase todos os ministérios da igreja. Não é incomum encontrar uma pessoa fazendo três ou quatro coisas na comunidade. Certamente que isso conduz ao desânimo.

Entra semana e sai semana e a pessoa sempre ativa. Uma hora ela se cansa, desmotiva e aos poucos deixa, primeiro, os trabalhos da igreja e depois abandona a própria igreja. Como é comum, raramente alguém vai atrás dessa pessoa e assim ela encontra ainda mais razão para sair daquela comunidade. Esse entra e sai de membros afeta o pastor, pois ele(a) é visto como alguém que não sabe liderar os membros da igreja.

3. Falta de vigor e alegria nos cultos

Outra causa da apatia da igreja e que geralmente causa a saída do pastor são os cultos quase vazios. Os domingos viraram rotinas e as pessoas não se motivam com os cultos.

Os cultos são sempre a mesma coisa, tem a mesma liturgia, são sempre as mesmas pessoas que participam, os mesmos cânticos e hinos. O culto vazio colabora bastante para mudar de pastor.

4. Falta de envolvimento dos membros com a missão da igreja

Em decorrência de vários fatores, os membros da igreja não se interessam em participar da missão da igreja na cidade. O pastor até prega sobre isso, insiste do púlpito para que haja compromisso, mas o povo não responde.

A igreja não consegue enxergar oportunidades para servir a Deus na cidade ou bairro onde está inserida. A acomodação é geral e contagiosa. A diretoria da igreja certamente que culpará o pastor por essa apatia generalizada e a troca de pastorado passa a ser a solução.

5. Falta de dinheiro

Naturalmente que em uma igreja onde os cultos não tem vigor, os crentes faltam demais nos trabalhos da comunidade e há pouco envolvimento com a missão a consequência disso será a diminuição da arrecadação mensal.

Uma das primeiras coisas que um crente faz quando não está satisfeito com sua igreja é para de dar os dízimos e ofertas. Para a diretoria da igreja se torna bastante lógico dispensar o pastor e contratar um que seja mais vibrante e que consiga alcançar o orçamento da comunidade.

6. Falta de sintonia entre o pastor e a diretoria

Talvez este seja o principal motivo de troca de pastores. A diretoria não entende o pastor e vice-versa. A diretoria e o pastor nunca gastaram tempo para refletir e estudar sobre a missão da igreja, seus programas e prioridades.

Se o pastor decide por sua própria vontade fazer o que acha que tem que fazer, certamente vai desgostar os líderes e fatalmente terá um curto ministério naquele lugar.

7. Falta de motivação do pastor(a)

É provável que o pastor esteja desmotivado. Já tentou de várias formas motivar a igreja, treinar lideranças, promover programas atrativos e nada disso funciona. A igreja atingiu um nível de apatia que tudo está bem se ficar do jeito que está.

O pastor, então, procura uma nova igreja e em achando aceita um novo pastorado.

Conclusão

Certamente que há tantos outros motivos para a troca de pastores e convido os leitores a apontarem algumas outras razões.

O certo é que os pastores de curta duração não produzem frutos em abundância. Por isso, a nossa sugestão é que tanto o pastor, a liderança e a comunidade estejam atentos aos sinais de que a igreja não está reagindo ao que está sento ensinado. Assim fazendo, é possível corrigir as rotas e alcançar os alvos que geram frutos.

Antonio Carlos Barro

Leia também: 3 informações importantes para pastores e comunicação

Deixe um comentário

avatar