Recursos para pastores

9 conselhos para esposas de pastores

Os pastores também devem ler

9 conselhos para esposas de pastores

Ser esposa de um pastor é uma tarefa das mais árduas, por isso 9 conselhos para esposas de pastores é até pouco comparado ao muito que se pode falar. Nosso desejo é ajudar sempre na melhoria do ministério.
Muitas esposas de pastores não sabiam que o seu futuro marido seria um pastor. Algumas sim, pois já estavam casadas quando o mesmo foi chamado para o pastorado.
Um tema que quase não se ensina nas escolas de teologia é justamente sobre a família do pastor. Poucos pastores são preparados para lidar com a igreja e com sua família. Preparados para servir a Deus na igreja sem negligenciar a esposa e os filhos. Essa é uma área que precisa de mais atenção por parte dos educadores teológicos.
Em uma recentemente pesquisa fiz a seguinte pergunta: “Que conselhos você daria a uma esposa de pastor?”. Veja abaixo as respostas e estão descritas sem ordem de importância.

1. Seja você mesma.

A cobrança sobre a família do pastor e especialmente sobre sua esposa é por demais exageradas. Fora dos limites normais quando comparado com qualquer outra profissão. Por isso, a mulher vai se ajustando aos desejos e vontades da igreja. Ela tem medo que se não fizer esse ajuste, o seu marido receberá criticas e o pior de tudo é que ela pode ser culpada por coisas que não vão bem no seu ministério.
Assim, ela vai deixando de viver a sua vida e passa a viver dentro do papel que a comunidade espera dela.

2. Esposa tem nome.

Você tem nome e seu nome não é “esposa do pastor”.
Seja gentil, mas firme quando chamada de esposa do pastor: “Você é a esposa do pastor?”. Se apresente e diga o seu nome. Peça ao seu marido que a chame pelo nome quando em público.

3. Esposa não é a pastora.

Certamente que há denominações onde a esposa do pastor também é chamada de pastora. Sendo este o seu caso, pule essa parte. Agora, se o seu marido é o pastor, deixe que ele o seja. Não se meta em todas as coisas que acontecem dentro de uma comunidade e são muitas. Deixe que ele e a diretoria da igreja resolvam os problemas.
Não fique colocando seu marido contra a parede perguntando sobre todos os detalhes da liderança, da reunião da diretoria, de um aconselhamento etc.
Se a igreja quiser que você seja pastora com ele, pergunte quanto será o seu salário.

4. Exercite o seu dom espiritual.

Não faça nada na igreja porque os outros querem por ser você é a esposa do pastor. Faça porque gosta e porque é seu dom. Muitas igrejas atribuem papeis tradicionais para as esposas do pastor: regente de coral, professora de crianças, líder do grupo de oração ou de visitação nos lares. Não faça nada destas coisas se você não é chamada para tal.
Explique para as pessoas que você tem outro dom espiritual tal qual cada crente da comunidade e que você irá trabalhar naquilo que Deus lhe chamou.

5. Tenha uma profissão.

O sustento pastoral é na maioria das vezes insuficiente para manter uma família.
Além do mais, a aposentadoria pastoral é mais insuficiente ainda. Por isso, enquanto é tempo você pode voltar a estudar, fazer algum curso técnico, aprender algum trabalho manual.
Isso é especialmente importante para as esposas ainda jovens.
Não esperem a igreja fará alguma coisa por você porque ela não fará. Já não faz agora que seu marido trabalha para ela, imagine quando ele não estiver trabalhando?

6. Ajude seu marido com boas palavras.

Calma que aqui não tem nada incoerente com o item 3.
Dê dicas sobre o sermão. Com jeito e não precisa ser no domingo a noite.
Elogie alguma ação dele. Nunca, mas nunca mesmo o critique durante jantares e almoços, na frente das crianças ou outros parentes.

7. Guarde no seu coração.

Tem tantas coisas que você vai ouvir e presenciar. Muitas delas farão mal ao seu coração e entristeceram a sua alma. Aprenda a guardar as coisas no seu coração. Ore e leve para o trono de Deus. Não comente as coisas da igreja com “sua melhor amiga”, especialmente se ela for da igreja e mais especialmente ainda se ela for esposa de um dos diretores da igreja. Erro fatal.
Caso você precise mesmo conversar e tem a mãe viva, ela é conselheira de todas as horas. Ou uma irmã mais próxima (irmã de sangue).
Ou, uma psicóloga.

8. Trate bem as pessoas.

Tenha sempre um bom relacionamento com as pessoas. Você não precisa ser amiga de todos na igreja, mas também não precisa ser inimiga de alguém em particular.
Trate bem os diretores da igreja e isso nem sempre é fácil. Você também pode conversar com essas pessoas se a questão envolver você. Caso não envolva, segue o barco.

9. Exercite o perdão.

Você como esposa de pastor recebe muitas criticas. Algumas com boas intenções, mas a maioria é maldosa, cruel mesmo. Pessoas têm expectativas a seu respeito e você não cumpre (nem sabia das expectativas), por isso mais critica ainda. Muitos olhares tortos, falatórios, fofocas etc. Isso vai abalando sua fé, sua confiança na igreja. O melhor caminho é o caminho do perdão. Perdoe em nome de Jesus.

Seu marido foi chamado para o ministério pastoral. Deixe que ele o cumpra.
Descubra o seu chamado e cumpra o seu.
Abraços

Antonio Carlos Barro
Visite www.sermao.com.br

Comentários