Recursos para pastores

Quer ficar muito tempo em uma mesma igreja?

Quer ficar muito tempo em uma mesma igreja?

É preciso aprender a lidar com a pergunta: Quer ficar muito tempo em uma mesma igreja?

Tem uma piada infame sobre a troca de pastorado que vez por outra vale a pena repetir.

A história

Certo pastor, despedido que foi pela igreja, vai ao seu gabinete pastoral para buscar suas coisas. Casualmente, o novo pastor contratado estava na igreja, visitando. O antigo pastor o chama e lhe entrega três envelopes numerados e diz:
“Quando eu cheguei aqui, o pastor anterior entregou-me os três envelopes e disse que na primeira crise ministerial eu deveria seguir as instruções do envelope número um, e assim também os outros. Hoje, lhe entrego os mesmos envelopes”.

O novo pastor assume o pastorado e no começo tudo corria muito bem. O povo vibrava com suas mensagens, o comparava com o anterior que não era bom em nada. E assim os dias foram transcorrendo até que surgiu a primeira crise. O pastor se lembrou dos envelopes e rapidamente abriu o número um. A instrução dizia que ele deveria culpar o pastor anterior pelo estado que se encontrava a igreja. Feito isso, ganhou tempo e tocou o barco. Na segunda crise, abriu o envelope dois e trazia instruções para começar novos programas com os jovens, encontro de casais, enfim movimentar a igreja. Feito, ganha tempo e toca o barco…

Até que um dia surge uma grande crise. Ele corre para o envelope três. Os outros dois tinham ajudado e agora ele precisa das instruções desse envelope. Ao abrir, para sua surpresa não havia instruções, mas apenas uma sentença: Prepare mais três envelopes.

Longevidade

Poucos pastores experimentam a longevidade pastoral em uma mesma igreja. Não que não queiram ter essa experiência, mas é que realmente é complicado ficar muito tempo num lugar. Muitas vezes o pastor não preenche as expectativas da direção e do povo; outras vezes a demanda e a crueldade do povo não permitem que o pastor fique o tempo necessário para um bom pastoreio.

Tem pastores fracos e tem pastores bons. Tem crentes fracos e crentes bons. O ideal seria que o bom pastor tivesse bons crentes, compromissados com o reino de Deus e com a igreja. Normalmente isso não acontece.

Eu vejo, por exemplo, crentes beligerantes julgando e condenando outros crentes porque divergem num ponto secundário de uma doutrina qualquer. Eu me pergunto como deve ser difícil pastorear crentes assim, pessoas que são donas da verdade e que se o outro não lê a sua cartilha ele ou ela é descartado como lixo. Não é fácil pastorear gente assim.

Complicações

Pastores, devo reconhecer, são por vezes complicados. Hoje, com tantas ferramentas para usar, o sujeito passa batido. Não pesquisa novas formas de liderar equipes, não sabe como detectar novos líderes, não tem metas, alvos, propósitos. Não tem nada. Não faz um curso de oratória, não lê livros sobre a pós-modernidade. Convenhamos que assim fica difícil ter longevidade em uma igreja.

Por isso, caro pastor(a) é urgente colocar a mão na massa. Faça novos cursos (tem dezenas gratuitos na internet), vá a um congresso, leia livros de teologia etc. Posso lhe garantir que se você gastar o mesmo tempo que gasta visitando crentes no seu processo de revitalização de igreja, sua igreja crescerá e você será pastor dessa igreja por muito tempo.

Antonio Carlos Barro

Veja também: Ser um líder na igreja, ser um pastor ou uma pastora

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Elizangela Recent comment authors
newest oldest most voted
Elizangela
Visitante
Elizangela

Eu aqui à vossa vontade