Recursos para pastores

7 coisas que se deve fazer antes de pregar sobre dinheiro

Em tudo o que fizerem, evitem as queixas constantes, assim como os conflitos, para que ninguém tenha nada a censurar-vos. Vivam vidas puras e sinceras como filhos de Deus, embora vivendo no meio de uma humanidade corrompida e perversa, mas na qual resplandecem como os astros no firmamento. Filipenses 2:14,15

O pior momento para pregar sobre dinheiro é quando você precisa de algum. O segundo pior momento é quando a igreja também está precisando de dinheiro para alguma coisa.

Fora estas duas variáveis, em todo o restante do tempo é necessário falar sobre dinheiro – ele faz parte da vida e gera muitos conflitos.

Dito isto, aqui estão uma série de precauções para você considerar antes de pregar sobre dinheiro, por que certamente ao falar sincera e biblicamente sobre o tema, irá despertar paixões mais diversas, algumas delas ligadas ao monstro chamado ganância.

Antes de pregar sobre dinheiro, lembre-se de:

1. Ter sua própria casa em ordem financeiramente. Geralmente não é possível que falemos de coisas sobre as quais nossa experiência é nula sem causar desconforto em que nos ouve. Existem assuntos, como oração, testemunho dentre outros que sabemos que todos lutaresmos com eles por toda a vida – existem outros porém, o dinheiro é um deles, que trata da maneira como nosso caráter é firmado e formado. Sexualidade é outro destes temas, mas isso é para outro post.

Na sua igreja, certamente, os membros da igreja são doadores, ou seja, são aqueles que entregam parte do dinheiro que ganham como ofertas ou dízimos (você sabe que nome dá a isso na sua igreja) e a menos que você seja fiel em fazer o mesmo na igreja adie a pregação sobre dinheiro. Seus irmãos na igreja não estão querendo ouvir sobre o que fazer se você mesmo não dá o exemplo de como fazer.

2. Conheça bem sua congregação. Certifique-se de que irão receber esta pregação da maneira correta. Pode ser que muitos se alegrarão com o sermão, mas outros podem ter uma tendência “homicida” por se tratar de dinheiro. O conhecimento e a percepção disso lhe dará condições de ministrar a igreja para ajuda-los a vencer determinados pensamentos e práticas com relação a dinheiro. Mais do que saber pregar, devemos saber COMO pregar e para QUEM estamos pregando.

3. Certifique-se que sua pregação tem a ver com a vontade de Deus para a igreja e não é você mesmo que está querendo “dar o recado”. Será que você está lidando com o dinheiro na igreja da forma correta? Ou será que está irritado como os líderes tratam com ele? Será que está tendo um sustento baixo e quer com isso melhorar as entradas da igreja para poder ter um salário melhor? Será que isso não está transparecendo na sua atitude de pregar sobre isso?

Isso não quer dizer que não devemos falar sobre dinheiro, mas sim que devemos falar sobre qualquer assunto quando orientados por Deus e sua Palavra, pois além de tudo, Deus nos capacita para falar no momento certo aquilo que é necessário.

4. Mantenha em mente a sua história com a mordomia cristã. O que se faz com o dinheiro não é tudo da história, muitas vezes, grande parte da história é COMO se utiliza os recursos que temos.

Paulo nos orienta bem ao dizer que ele mesmo “não estava a procura de ofertas (do presente em si), mas procurava fazer tudo de maneira que aumentasse aquilo que seria “creditado” na conta dos que oferavam” (Filipenses 4.17). Quando você encontra alguém que fala sobre não entregar dinheiro em igreja, que é contra isso ou aquilo quando se fala de dinheiro em igreja, saiba: o problema dessa pessoa não é o dinheiro, isso é apenas um sintoma de que há algo maior em questão – há uma rebelião contra Deus se processando dentro dela e “proteger a carteira” é apenas uma maneira de lidar com isso.

O ideal sempre é levar as pessoas a se oferecem a Deus, inteiros, integralmente. Uma vez feito esse compromisso, todo o resto vai também para o lugar certo.

5. Em algum lugar, dentro da mensagem, você deve abordar as principais objeções na mente de alguns sobre o assunto da mordomia cristã.

Esse não é o tipo de coisa que as pessoas geralmente dizem abertamente, por exemplo: a) Não gostamos de sermões sobre dinheiro; b) Pastores só querem saber de dinheiro; c) Nossa igreja já está fazendo o que precisa, não precisamos de mais sermões sobre dinheiro; d) Dízimo é coisa do Antigo Testamento e assim por diante.

Tratar disso pode ser feito com frases que levem o povo a pensar, falando: geralmente não queremos ouvir sobre dar dinheiro quando não estamos envolvidos com o projeto de dar. Muitas vezes pregadores querem mesmo tirar nosso dinheiro, mas isso não significa que não devemos ofertar da maneira correta. É muito bom ver que a igreja está indo bem na organização de suas finanças e investimento e isso é o grande motivo para falarmos sobre dinheiro, porque podemos continuar a fazer o que é correto. Sim, o dízimo é do Antigo Testamento e o princípio para o Novo Testamento é de 100% e não mais de 10%, ou seja, Jesus deseja que nos entreguemos a ele com toda a nossa vida e não apenas uma parte dela.

6. Resista a tentação de ser legalista sobre dinheiro. Muitos que nos acusam de estarmos super-enfatizando questões financeiras muitas vezes estão corretos. A ideia sempre será a de levar as pessoas a entenderem os princípios por trás das palavras e não apenas de cumprirem regras. Levar as pessoas, por exemplo, a entenderem que a proporcionalidade do que se propõe quando fala-se de 10% de dízimo tem a ver com a justiça de não se exigir de quem tem pouco que dê muito e assim por diante.

7. Cuidado com a tendência de tentar receber mais do que se dá. Se você estiver percebendo uma tendência dentro de si mesmo que o leva a diminuir o seu envolvimento financeiro com o Reino de Deus eu diria que você tem um problema e tanto para lidar antes mesmo de pregar sobre dinheiro na igreja. A ganância esta em nossa natureza pecaminosa e a espreita para fazer mais uma vítima.

Não existe alegria maior que se dirigir ao púlpito para pregar sabendo que a mensagem que falará é recado de Deus para o povo e não apenas suas próprias palavras repetidas e que estas verdades que pregará ecoam em sua própria vida pessoal como testemunho para a igreja e para os de fora.

Como é que você tem lidado com essas questões de dinheiro na igreja? Compartilhe algumas coisas sobre isso.

Abraço,

Gedeon Lidório
Adaptado de Joe McKeever

Deixe um comentário

avatar