Recursos para pastores

É preciso entender que nós não somos sobrenaturais

Ser acompanhado para evitar a crise

É preciso entender que nós não somos sobrenaturais

A humanidade em nós fica ainda mais evidente quando sabemos da notícia que um de nós, um pastor, cometeu suicídio, mas é preciso entender que nós não somos sobrenaturais

As perguntas que fazem são muitas e podemos fazer tantas quantas forem surgindo, mas o que nos interessa mesmo é saber que somos seres humanos, não somos seres sobrenaturais e portanto não temos em nós poderes suficientes para barrar males, incertezas, fraquezas, depressão, contingências estas e outras que nos fadigam todos os dias.

Reconhecer nossa incapacidade parece ainda não bastar: é preciso dar um passo para sermos acompanhados. Quantas vezes pastores e pastoras chegam até a mim e a minha esposa para acompanhamento destruídos, com corpo, mente e alma perto do que se pode chamar de lixo.

Gostaria de dar uma dia que entendo ser preciosa:

Ninguém pode ou deve caminhar sozinho na vida. Não fomos feitos para viver sós.

Você está sendo acompanhado ministerialmente por alguém? Não estou dizendo sobre o seu supervisor de campo, mas uma pessoa que não está ligada ao seu ministério e portando você pode se abrir completamente e falar tudo o que está entalado na garganta há anos…

Não precisamos também ficar calados

Falar ainda é o melhor caminho para o evitamento das desgraças em nossa alma. Uma confissão libera nossa mente, coração e alma e faz um bem tremendo ao ministério pastoral.

Se preciso for, podemos sim procurar um profissional para nos ajudar

Se você não tem um acompanhamento profissional, alguém que possa te escutar, procure hoje ainda. Não deixe para depois pois sempre quando percebemos é tarde demais.

A sobrenaturalidade a que nos submetem, como pastores e pastoras não é real, lembre-se disso. Deus nos criou humanos, então graças a Deus temos essa necessidade de outras pessoas em nossa vida.

Não deixe para amanhã a ajuda que você pode pedir hoje!!!

Deus nos abençoe.
Gedeon Lidório

Deixe um comentário

avatar