Recursos para pastores

O pastor e a leitura do texto bíblico

pastores lendo a biblia

Há três leituras equivocadas que pregadores fazem com frequência: a do texto bíblico, a do contexto bíblico e a do próprio público.

São inúmeros os fatores que reforçam o primeiro equívoco, mas a sobreposição dos conceitos teológicos adotados pelo pregador, em geral legados por alguma tradição, corresponde a um dos principais;

O segundo equívoco representa uma deficiência de nossos seminários que ensinam geografia bíblica, costumes e contexto bíblicos, mas não munem os alunos com a capacidade analítica das construções sociais e suas relações com as estruturas de poder;

O terceiro é um problema legado pela antropologia bíblica que nos fez o favor de fixar o ser humano em quadro mais ou menos imutável. Assim tratamos com o homem do século XXI da mesma forma que trataríamos com o do século IV a.C.

Por isso, não é incomum ouvir um pregador falando de doutrinas caducas, com a atitude de um profeta dos dias de Acabe, para um público que não vê relevância na mensagem, mas admite-se indigno de alguma forma.

Minhas sugestões:

1. Pergunte-se, sempre, se está pregando Bíblia ou doutrina da sua denominação;

2. Verifique se a tônica da sua mensagem é positiva ou negativa;

3. Coloque-se no lugar do seu público, tentando imaginar os problemas do dia-a-dia, e pergunte-se se sua mensagem terá algum efeito prático sobre suas vidas;

4. Certifique-se de que sua mensagem é libertadora em relação aos tradicionais jugos da religião, sendo a culpa um dos principais;

5. Tenha coragem de romper com a lógica de dominação eclesiástica, que procura prender os fieis em vez de libertá-los para o Reino.

Abraços

Vanderlei Frari
Diretor Acadêmico
Centro Educacional Evangélico ISBL
Londrina PR.

Deixe um comentário

avatar