Recursos para pastores

O que constitui uma crise?

Muito tem se falado nestes dias de crises, tanto no país como em outros, cises financeiras, crises religiosas, crises existenciais das mais diversas.

O que constitui uma crise realmente?

Uma das definições que encontramos é que crise é um tempo ou um estado de coisas ou eventos instáveis, geralmente cruciais e que trarão resultados que farão uma diferença decisiva – para melhor ou para pior.

A crise, então, é geralmente um momento de perda, de alteração ou estresse que leva as pessoas para fora de suas zonas de conforto e padrões de enfrentamento normais. É um tempo desafiador, geralmente longo o suficiente para ser significativo e que pode ser um ponto de virada na vida de alguém.

Efetivamente, quando se passa pela crise isso leva a um crescimento?
Não necessariamente. Não é a crise que nos amadurece, mas como reagimos a ela, como saímos dela, como meditamos sobre os fatos e situações e que decisões tomamos a partir daí.

Aí sim, as situações ruins serão usadas para nosso bem.

Quando simplesmente passamos por uma crise, sem nenhum tipo de intencionalidade da análise do que está acontecendo, entramos numa espiral que certamente levará a outras crises de sentimento de incapacidade, depressão, raiva dentre outras coisas.

O enfrentamento da crise é que nos dará condições de sair dela melhor do que entramos.

Algumas vezes uma crise é preciptada pela perda de alguma coisa ou mesmo uma pessoa. Esse tipo de crise ameaça a normalidade da vida. Quanto maior é a ameaça, mais grave é a crise que irá aparecer.

Qual o resultado da crise em que você está passando em sua vida ou ministério? Você está agindo como agiu da última vez? Se sim, está esperando um resultado diferente dessa vez?

Saiba que, se for assim, esse resultado diferente não virá.

Não somente enfrente a crise, o fato em si, mas reflita sobre ele, tente aprender algo com isso, tente ajustar o sentimento da crise para que possa produzir ensinamento, amadurecimento e novo conhecimento de como enfrentar as próximas crises.

Abraço,
Gedeon Lidório

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments