Recursos para pastores

Pessoas com necessidade em controlar aumentam o conflito dentro das igrejas

Que atitudes podem agravar esse conflito humano dentro das igrejas? Que fatores da personalidade podem ajudar a perpetuar esse conflito?

Algumas coisas sempre cooperam para que nosso interior esteja em conflito e não resolvido. Vejamos algumas delas:

Autocondenação

A ansiedade e culpa de indivíduos, quando provocado por forças dentro ou fora da igreja, estas coisas podem levar as pessoas a reagir contra a autocondenação, projetando sua autocondenação na igreja ou no pastor que é como um bode expiatório. “É culpa dele!” Isso é meramente um mascaramento das profundezas da sua própria negação, autocondenação e recusa de se reconciliar. Colocar a culpa no outro parece sempre ser a solução mais rápida para o conflito entre as pessoas.

Baixa autoestima

A sensação de que a pessoa não se considera “boa o suficiente” pode ser abordada nas organizações voluntárias, tais como igrejas, pois em tais organizações, as qualificações são muitas vezes simplesmente o “estar lá” e aparentemente é apenas para ser visto pelo público. A baixa autoestima pode gerar um comprometimento com essa função organizacional. Geralmente os não cristãos, que frequentam ambientes assim, tem uma tendência a lidar diretamente com a eficiência de quem os serve, o que gera desconforto desses voluntários que tem baixa autoestima.

Infelizmente, aqueles que tentam lidar com estes indivíduos são muitas vezes vistos como indiferentes e insensíveis e aquele com baixa autoestima é comumente vitimizado por si mesmo. Uma vez que todos conseguem ter empatia com as vítimas, e os cristãos estao aí para cuidar do que está por baixo, a integridade, ações e intenções dos líderes que tentam abordar esta questão são frequentemente atacados, criticados ou prejudicados como se estivessem sendo injustos.

Senso de Desorganização / Caos

Quando as pessoas percebem que as coisas são desorganizados ou estão em caos com suas próprias vidas, eles tendem generalizar qualquer projeto ou necessidade de controle para áreas em suas vidas pessoais. Muitas vezes, aqueles que são incapazes de gerir o caos em sua própria vida, entende que controlar outras desorganizações que são percebidas, ajuda-os a distraí-los de ter que lidar com a realidade de seu próprio mundo fora de controle.

Necessidades de controle

Aqueles que foram criados em famílias caóticas, devastadas, com pais fora de controle, irmãos em guerra constante, violência ou mesmo com abuso de substâncias etc, têm experimentado um nível inestimável de medo. Eles estão com medo do caos, desorganização ou qualquer coisa que está fora de controle. O que eu aprendi é que quando o ambiente está fora de controle, eles também podem sair do controle. Este é o seu maior medo.

Para se defender, eles respondem ao seu ambiente, tornando-se super-responsáveis (ou super-irresponsáveis) e estão sempre em excesso nas reações a qualquer coisa sobre a qual eles percebem que não têm controle. Pode se manifestar em uma ditadura destrutiva ou num perfeccionismo tirânico. Este estrangulamento, que visa absorver tudo o que está perto ou dentro das circunstâncias, incluindo as políticas, procedimentos, programas, pessoas, relacionamentos e, ouso dizer, até mesmo Deus … se isso fosse possível.

Quando tudo é seguro, a sua maior recompensa é a sensação de ter ganho o que para eles é o tipo mais importante de controle, controle total de suas emoções. Uma fonte de orgulho, quando se sentem como eles estão no controle total de suas próprias emoções, a maneira mais importante que podem demonstrar o seu controle superior de si mesmos é fazendo com que os outros (especialmente os líderes) entendam que estão fora de controle e que precisam dessa manipulação.

Quando esses líderes “perdem a calma” e saem do controle, tais pessoas demonstram que esses comportamentos são autoconfirmação de que todo o ambiente precisa desse controle completo. Sob seu controle “benevolente”, a vida estará perfeita, previsível e não ameaçadora.

Perfeccionismo

Intimamente relacionado com a necessidade de controle é a necessidade de perfeição. Tudo o que é “perfeito” é percebido como sob controle, estável, seguro e previsível. Por outro lado, qualquer que seja a ameaça é pode introduzir caos, instabilidade e perda de controle. Assim, indivíduos com uma forte necessidade de perfeição são ameaçados por qualquer coisa que em seu entender não seja perfeita, coisa esta que logicamente, não está sob seu controle.

O perfeccionismo pode ser mascarado pela impressionante fachada de que é preciso tudo estar junto, ou tudo estar sobre controle, isto é estar sob o autocontrole perfeito deste que é perfeccionista.

Debaixo desta fachada de que tudo precisa estar debaixo do seu controle para poder ser eficiente, no entanto, esse indivíduo é muito assustado. Quando confrontado, esta massa incontrolável de medo caótico pode ser exibida em grande força e demonstração de poder que pode aniquilar todo o ambiente. Afinal, se ele vai estar fora de controle, por que não ir até o fim e deixar o caos perpetuar na maior medida possível. Em tal estado, o super-responsável deslocou-se para super-irresponsável. Esse é sempre um deslocamento possível.

Precisa de aprovação

As pessoas cujas necessidades são insaciáveis tendem a buscar a aprovação e fazer acordos com outras pessoas. No conflito, essas pessoas vão seguir a quem quer que seja que lhe diga o que eles querem ouvir … mesmo que isso seja uma mentira. Eles argumentam que qualquer relacionamento a qualquer preço é melhor do que nenhuma relação. Essas pessoas se apegam a pessoas contrárias, apoiando e incentivando-os não por causa do acordo, mas por medo, por desespero de desaprovação e rejeição. “Eu farei qualquer coisa … só não me deixe!” É um exemplo típico de seus motivos.

Atitudes contrárias: impulsividade-rigidez

Ao primeiro sinal que algo está errado, aqueles marcados por estas atitudes “bipolares”, vão correr para fazer qualquer coisa para corrigir o que está errado. Quando a crise é percebida, que se aplique a primeira solução que vem à mente. Infelizmente, se esta solução funciona ou não, torna-se irrelevante, pois a mesma rigidamente se fixa em sua mente, de modo que quando outras crises aparecem, eles tentam usar continuamente a mesma abordagem e soluções.

Orientados a crise

Algumas pessoas vivem para a crise. Tudo o que fazem, tudo o que veem, tudo o que ouvem, tudo o que experimentam, na verdade o mundo todo é uma crise à espera de acontecer. Sem isso eles simplesmente “não pode ter nenhuma satisfação.”

Tendo sido criado em um lar que estava em crise perpétua e tendo sido mantidos à beira da sanidade emocional, tais indivíduos interpretam tudo em termos de crise. Uma vez que tudo dá errado, esses tipos se alegram quando encontram a realidade ou percepções da realidade que confirmam o que aprenderam em suas casas de infância – uma crise aberta a espera de soluções.

Apesar de que a crise ser uma época difícil, essas pessoas encontram conforto dentro da crise porque reafirmam suas convicções sobre como o mundo é, deve ser, e que é “normal” tudo estar em crise. Quando não há nenhuma crise, torna-se difícil para eles funcionarem em um mundo totalmente estranho e alheio a sua experiência … em um mundo em que eles não têm nenhum envolvimento significativo sem crise.

O medo do fracasso, crítica e abandono

Marcado pela indecisão, os indivíduos que são atormentados por um medo do fracasso podem, quando recebem instruções específicas, executar projetos de forma notavelmente extraordinárias. No entanto, ao mesmo tempo, os seus esforços irão ser assombrados por sua observação persistente para a “falha fatal” que irá destruir seus esforços.

Às vezes essa falha fatal se torna evidente uma vez que prejudica seu próprio sucesso antes que alguém possa miná-lo.

A razão pela qual eles preferem minar seu próprio trabalho ao invés de ter uma outra pessoa a fazer é o medo de críticas, rejeição e abandono. Essas pessoas acreditam que é menos doloroso destruir seus próprios esforços e criticar a si mesmo, do correr o risco de concluir os seus esforços e ver que outros expressam desaprovação para com eles.

É também menos doloroso abandonar e rejeitar os outros do que ser abandonado e rejeitado por eles. Além disso, esta tendência para a auto sabotagem mantém um senso de controle pessoal em uma outra situação de risco em que as respostas dos outros não podem ser controladas.

Aos olhos de uma pessoa com estas necessidades o medo de se estar no assento do motorista quando as coisas estão saindo do controle é bem menor do que estar assistindo passivamente como outros levam em direção às metas de sucesso.

Aplicações

Existem indivíduos que sabotam os esforços bem-sucedidos em sua congregação? Você está tentando descobrir por que? Talvez agora você sabe de algumas razões pelas quais as coisas parecem estar indo “fora de controle”.

Talvez a mais importante razão para as coisas que parecem estar ficando fora de controle seja porque você está fora de controle. Já pensou sobre isso?

É muito fácil para os líderes saudáveis refletirem de maneira que provoquem o medo, ansiedade e disfunção do indivíduo. Isso pode ser paralisante para as pessoas.

O que você faz quando as coisas parecem ficar fora de controle? Você entra em pânico? Você tornar-se uma pessoa reativa … deprimida … raivosa … que retalia… e que facilmente fica chateada?

Um dos fatores agravantes é esquecer que Deus está no controle.
Você pode confiar nele …. Em todas as circunstâncias. Como escreveu Isaías em Isaías 43,

Mas agora assim diz o Senhor, aquele que o criou, ó Jacó, aquele que o formou, ó Israel: “Não tema, pois eu o resgatei; eu o chamei pelo nome; você é meu.
Quando você atravessar as águas, eu estarei com você; e, quando você atravessar os rios, eles não o encobrirão. Quando você andar através do fogo, você não se queimará; as chamas não o deixarão em brasas. Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, o Santo de Israel, o seu Salvador; dou o Egito como resgate por você, a Etiópia e Sebá em troca de você. Isaías 43:1-3 – NVI

Existe alguma dúvida de que, mesmo quando as coisas parecem estar fora de controle Deus estará com você?

De modo nenhum! Tudo o que precisamos fazer é confiar nele … e encontrar a alegria de saber que Deus, apesar de todas as aparências, está lá para você!

Auriciene Lidório
Adaptado de Ministry Health

Deixe um comentário

avatar