Recursos para pastores

Quanto deve ser o salário de um pastor?

Este é um tema que ainda é um tabu na igreja.

Alguém disse o seguinte:

Sempre haverá na igreja gente que acha que o pastor ganha pouco.
Sempre haverá na igreja gente que acha que o pastor ganha muito.

Algumas denominações tem leis, regras ou maneiras de decidir qual deve ser o salário de um pastor, como exemplo: cinco salários mínimos pagos no Brasil. Esse é o piso inicial.

Outras igrejas pagam a mesma coisa para todos os pastores.

Outras pagam mais e pagam bem dependendo da sua entrada mensal, do seu tamanho e da sua importância no cenário nacional.

A questão salarial também está ligada a ideia de que os pastores não trabalham como, por exemplo, trabalham as pessoas em seus empregos. Isso se dá tendo em vista que o pastor funciona sem horários definidos, sem assinar ponto de presença, etc.

Sobre o assunto, leio sobre um pastor de uma igreja de 200 membros que faz o seguinte comentário:

“Quanto você pagaria para um administrador gerenciar uma empresa com 200 empregados, que tem que organizar todos os departamentos, promover treinamento, mobilizar, cuidar do patrimônio, etc. E se esse administrador tivesse ainda que ficar de prontidão 24/7 para atender as demandas surgidas fora do horário de trabalho?”

Como devemos proceder em relação ao salário pastoral?

  1. Com transparência.
  2. Com honestidade.
  3. Com justiça.
  4. Com equidade.

O pastor não é um charlatão que está querendo tirar proveito do rebanho. O pastor é uma pessoa que está genuinamente interessado no seu rebanho e por ele se desdobra todas as horas de sua vida.

As igrejas deveriam honrar seus ministros. Os ministros devem trabalhar com ardor sabendo que seu salário vem do suor do rosto de seus paroquianos.

Sugiro que haja sempre um diálogo entre a diretoria da igreja e o pastor para que o salário não seja pouco e nem seja acima da média dos salários da congregação.

Antonio Carlos Barro

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments